Dicionário de Óleos Essenciais


ervas maceraçao

Alecrim: Tônico, estimulante, alivia dores musculares e reumáticas, artrite, elimina toxinas, acne, combate o cansaço, estimula a concentração mental, fortalece a memória – ORGANIZAR

Basílico (Manjericão): Tônico nervoso, alivia cãibras, combate fadiga, estimulante mental, memória, clareia os pensamentos, depressão, ansiedade, repelente de insetos – ENERGIZAR

Bergamota: Bactericida, cólicas, perda de apetite, estimulante digestivo, cândida, dermatoses, angústia, estresse, calmante, antidepressivo, ansiedade – RELAXAR

Camomila: Analgésico, antiinflamatório, problemas estomacais, hepáticos e menstruais, TPM, peles sensíveis, dermatose, alivia insônia, insatisfação, impaciência, enxaqueca, sinusite alérgica, antiespasmódico – SOS – ACEITAR

Canela: Analgésico, bactericida, antigripal, estimulante sexual, cólicas e diarréias, intuição, aquece, conforta, fadiga – TONIFICAR

Capim Limão: Bactericida, cólicas, diurético, digestivo, poros dilatados, acne, esgotamento mental, harmoniza o sistema nervoso, relaxa, repelente de insetos – REFRESCAR

Cedro: Infecções, anti-séptico urinário, cistite, alivia o reumatismo, asma, problemas respiratórios, dermatose, celulite, ansiedade, tensão nervosa, medo, raiva, conforta – FORTALECER

Cipreste: Circulação, retenção de líquidos, celulite, varizes, hemorróidas, sudorese dos pés, limpeza facial, problemas respiratórios, gripe, expectorante, perda de concentração, tensão, perdas, luto – ESTRUTURAR

Citronela: Bactericida, tônico, estimulante, desodorizante, higienizador e purificador ambiental, combate pulgas, carrapatos e mosquitos – PURIFICAR

Sálvia (Clary Sage Sclarea): Relaxante, fortalece o organismo, regulador feminino, excelente para TPM, tensão, auxilia no parto, frigidez, celulite, adstringente, antidepressivo, stress, pânico, agressividade – REGULARIZAR

Cravo: Analgésico, bactericida, fungos, ácaros, digestivo, dor de dente, anti-séptico bucal, repelente de insetos, estimulante da memória, aquece, concentra, exótico e afrodisíaco – CENTRAR

Erva Doce: Digestivo, cãibras abdominais, antiespasmódico, flatulência, TPM, menstruação irregular, cistite, incentiva a lactação, equilibra sistema nervoso, stress – PRODUZIR

Eucalipto: Grande expectorante, deficiências respiratórias como: asma, bronquite, resfriados e sinusite; dores musculares, artrite, bactericida, higieniza e purifica o ambiente, cansaço, concentração mental, comunicação, repelente de insetos – LIMPAR

Gengibre: Analgésico, tônico, estimulante, excelente para dores, distensões e tensões musculares, estrutura vertebral, estrutura óssea, digestivo, cãibras, enxaqueca, tônico sexual e auxilia a concentração – REESTRUTURAR

Gerânio: Desintoxicante, diurético, celulite, obesidade, TPM, pele oleosa, rejuvenescedor, rugas, harmoniza, acalma, antidepressivo, ansiedade, raiva, tristeza, afrodisíaco, repelente de insetos – REJUVENESCER

Grapefruit: Relaxante, refrescante, restaurador, depurativo, diurético, celulite, bactericida, revigorante, fadiga mental e física – ATIVAR

Jasmim: Analgésico, dores em geral, tensões musculares e distensões, cãibras, auxilia no parto, afrodisíaco, equilibra os hormônios, frigidez, trauma, rejeição, pânico, medo, paranóia, melancolia, depressão, rejuvenescedor – DESEJAR

Junípero: Desintoxicante hepático e renal, diurético, cistite, bactericida, dores musculares, artrite, celulite, micoses, acne, purificador ambiental, medo e insegurança – FORTIFICAR

Laranja Doce: Revigorante, estimulante, diurético, digestivo, fadiga, apego, combate a melancolia, estados de depressão, tristeza, ansiedade, tensão nervosa – ALEGRAR

Lavanda: Bactericida, regenerador celular, enxaqueca, hemorróidas, herpes, dores em geral, hipertensão, relaxante e calmante, flatulência, cólica, TPM, medo, traumas, ansiedade, stress, melancolia, tensão nervosa, auxilia no parto e pós parto, cicatrizante, queimaduras, equilibra e harmoniza – SOCORRER

Limão: Estimulante, solvente, bactericida, tônico imunológico, germicida, concentração, estado de convalescença, circulatório feminino, problemas digestivos, gripes, resfriados, fadiga, memória, purificador do ar – CONFIAR

Mandarina: Antiespasmódico, cãibras, herpes, digestivo, insônia, relaxante, trauma, mau humor, irritabilidade – HARMONIZAR

Manjerona: Regenera o sistema nervoso, hepático, dores de cabeça, artrite, dores musculares, ansiedades, angústias, depressão, insônia – CONFORTAR

Menta (Hortelã-Pimenta, Peppermint): Tônico nervoso e hepático, indigestão estomacal, náuseas, sensações de calor (menopausa), dores musculares, cãibras, reumatismo, expectorante, clareia a memória, fadiga, concentração, revigorante – TOLERAR

Noz Moscada: Estimulante nervoso, afrodisíaco, digestivo, diarréias, auxilia o processo do parto (contração uterina), estado de convalescença, tristeza, insegurança – ESTAR

Olíbano: Anti-séptico pulmonar, tosses constantes, bronquite, gripes, bactericida, suavemente estimulante, cicatrização, rejuvenescedor, regenerador celular, rugas, ansiedade, tensão, purificador do ambiente, rituais e cerimônias (casamentos, batizados e bodas), proteção – MEDITAR

Patchouli: Rejuvenescedor, regenerador, acne, cicatrizante, tônico sexual, bactericida, calmante e relaxante, meditação – CENTRALIZAR

Palmarosa: Regenerador celular, rejuvenescedor, adstringente, dermatoses, limpeza facial, stress, nervosismo, antidepressivo, fadiga – ADAPTAR

Petitgrain: Fadiga mental e física, exaustão, refrescante e relaxante, revitalizador, clareia a mente e a memória, diurético e digestivo, bactericida e purificador do ambiente – REATIVAR

Pinho: Grande bactericida, descongestionante, expectorante, sinusite, gripe, bronquite, convalescença, dores musculares e reumáticas, regenerativo – REFRESCAR

Rosa:  Tônico geral, adstringente, cicatrizante, rejuvenescedor, regenerador celular, rugas, peles secas e normais, menstruação irregular, herpes, alivia cãibras, auto estima, conforta, antidepressivo, choque, pânico, traumas diversos, angústia, impaciência e tristeza – AMAR

Rose Gerânio: Bactericida, adstringente, cicatrizante, diurético, rejuvenescedor, regulador, antidepressivo, resgata a feminilidade, uso pré-menstrual (TPM), celulite, raiva, agressividade, frustração – CURAR

Sândalo: Regenerador celular, tônico geral, anti-séptico urinário, afrodisíaco, combate a frigidez, cicatrizante, egocentrismo, agressividade, stress, ansiedade, meditação, calmante – UNIFICAR

Tangerina: Gestantes e crianças, tensão leve, medo, tristeza, irritabilidade, insônia, um grande relaxante associado com lavanda. Usar após o quarto mês de gravidez – DESPERTAR

Tea Tree: Excelente ação bactericida, antiviral, fungicida, antiinfecciosa, herpes, micoses, fadiga física e mental, elimina fungos e purifica o ambiente, acne, picadas de insetos – ENCORAJAR

Tomilho: Estados gripais, resfriados, antivirótico, bactericida potente, problemas respiratórios. Cansaço físico, convalescença constante, repelente de insetos, revitaliza o físico e mental – RESTABELECER

Vetiver: Desconexão, dispersão, estimulante hepático, renal e pancreático, regenerador celular, peles cansadas, tônico sexual, confortante, stress excessivo (crônico) – RECONECTAR

Ylang-Ylang: Auxilia nos momentos de tristeza, grande anti-depressivo, raiva, melancolia, possessividade, ansiedade, stress, regulariza estados de TPM, auto-estima, auto-confiança, sensual, afrodisíaco, confortante – EXPRESSAR

ervas

Anúncios

Rosa – a flor que cura e confere longevidade

rosas-lindas

A rainha das flores – a flor mais famosa em todo o mundo – também chamada a rainha do coração, teve sua origem no norte da Pérsia (atual Irã), de onde foi introduzida para a Turquia, Grécia e Itália, em seguida para o resto da Europa e, finalmente, espalhando-se de forma natural e crescente para os demais países do mundo.

Em sua profunda generosidade, a Rosa encanta a todos nós, com sua beleza, paixão e o amor; é também considerada como símbolo maior de Maria, mãe de Jesus, a mãe Compassiva e Amorosa.

No reino da Aromaterapia é a Grande Dama – seu precioso óleo essencial possui rara fragância, seu poder de ação atrai a todos, quase que sem exceção. Sua delicada e profunda fragrância toca profundamente as almas das pessoas, com o propósito de cura para todos os níveis.

Por se tratar de uma das flores mais delicada da natureza, o processo de extração de seu óleo essencial deve ser efetuado com muito carinho, cuidado e profissionalismo – qualquer desatenção durante o processo de destilação, pode prejudicar toda uma produção.

Sua colheita ocorre de forma quase que ritualística – suas flores devem ser colhidas nas primeiras horas do dia, mais precisamente entre 5 e 10 horas da manhã, justamente quando as rosas estão no estágio de produção máxima de suas mais preciosa substância, o seu óleo essencial; sabe-se ainda que a colheita é feita quase que exclusivamente por mulheres, em muitos lugares, onde se cultivam a rosa para extração do óleo essencial.

A rosa é atualmente cultivada em maior escala no interior da Bulgária, em local chamado Vale das Rosas, em Kazanlak – foi introduzida nesse país no século XVI, trazida da Turquia. Hoje, sabe-se que o melhor e mais valioso óleo de rosas, vem deste país, seguido pela França, Turquia e Índia.

Para se obter 1 kg de óleo essencial de rosas são necessárias aproximadamente quatro toneladas de rosas, ou seja, 60 mil unidades de rosas para serem extraídos 28 gramas do óleo – mais precisamente, são necessárias 30 rosas para se extrair uma gota do mais precioso óleo essencial do mundo.

bulgarianrose

Cada gota deste óleo essencial vale ouro, pois contém 40 quinquilhões de moléculas aromáticas, as quais são providas de poderosas propriedades terapêuticas; já se tem confirmado por pesquisadores, até o presente momento, da existência de mais de 300 componentes químicos contidos neste óleo de rara preciosidade. Segundo Dr. Gary Young, o óleo essencial de rosas possui a mais alta vibração de frequência energética, aproximadamente 320 MKz, isto promove o aumento de frequência de todas as células, trazendo o equilíbrio e harmonia para o corpo e o espírito.

Principais atuações terapêuticas do versátil e raro óleo essencial de rosas:

Sua ação terapêutica é extremamente extensa – é um poderoso óleo para ser usado como antidepressivo, anti-inflamatório, anti-séptico, antiviral, bactericida, cicatrizante, depurativo (purificador do sangue), desintoxicante hepático, laxante médio, emenagogo (agente que promove e/ou regula o fluxo menstrual), sedativo para o sistema nervoso, regenerador celular geral, tônico cardíaco, hepático, uterino e do sistema imunológico, fortalece e melhora as atividades dos órgãos e sistemas mencionados.

Sua extensão de uso é muito ampla, trata-se de um dos óleos mais versáteis para o trabalho terapêutico – não fosse pelo seu elevado valor financeiro, poderia com toda a certeza, ser usado como “cura tudo”.  Suas indicações medicinais estendem-se para muito além dos cuidados com o corpo físico. Tem ação potente principalmente nos níveis mental e emocional, também confere valiosa ação no campo sútil da existência humana – o plano espiritual.

Oferece grande suporte para o trabalho de despertar e desabrochar da Identidade Universal; liberta a ação divina que se manifesta através de atitudes gentis, gestos nobres e ações amorosas. No corpo físico, promove muitas curas, a começar pelo sistema nervoso, onde atua como um maravilhoso tônico, regenerador das atividades dos nervos. Age minimizando a existência prolongada de estresse emocional e mental. O estresse prolongado pode acionar a manifestação de diferentes sintomas como: a depressão e/ou ansiedade, a apatia, a fadiga ou uma profunda sensação de cansaço geral, inclusive irritação e insônia. Obviamente, o corpo somatiza a manifestação de algum tipo de doença, sendo o local de última instância para a manifestação de sofrimentos em outros níveis, aos quais as pessoas estão envolvidas.

As ocorrências e sofrimentos físicos que se beneficiam deste abrangente óleo essencial são incontáveis. Sua extensa ação terapêutica no nível físico abrange os cuidados com a pele e suas doenças, como inflamações variadas, psoríase, eczema crônico, furúnculos, abscessos, pele ressecada, desidratada, craquelada até o desenvolvimento precose do envelhecimento da pele, com a ocorrência de rugas.

Potente depurativo e desintoxicante no reino da Aromaterapia, trata-se de um verdadeiro e amoroso faxineiro de detritos e toxinas provenientes de todas as partes do corpo, muito útil para promover a remoção e a expulsão de substâncias velhas, inúteis e que se tornaram fontes de condições prejudiciais crônicas.

Promove limpeza sanguínea, linfática, renal, estomacal, pulmonar, intestinal e cutânea – seu aroma jamais será agradável, para o sentido olfativo daqueles que apresentam corpo físico, mental, emocional e espiritual contaminados por substâncias tóxicas de qualquer qualidade, ou ainda, para os que apresentam uma personalidade muito ácida

Rose valley4

Indivíduos que tem por hábito ingerir alimentos geradores de toxinas, como carne vermelha, suína, alimentos gordurosos, frituras, açucares, refrigerantes, embutidos, enlatados, refinados, cafeína e álcool, certamente sofrerão certa rejeição a este aroma, que não será agradável, poderá causar a desconfortável sensação de enjôo. Para os consumidores de drogas pesadas, o efeito do aroma pode ser até repulsivo.

A rosa não tem nenhuma ressonância com nenhuma destas substâncias geradoras de doenças e dependências – sua presença e eventuais consequências de enjôos ou repulsa sinalizam, por meio de seu aroma, que algo não esta bem internamente.

De predominante ação terapêutica no sistema circulatório e cardíaco, atua como agente controlador da pressão sanguínea e dos batimentos cardíacos. Refresca as fortes emoções que fervem e agitam eventualmente o sangue, causando turbulência e desequilíbrio na pressão arterial. Elimina emoções lascivas, promovendo o resgate do controle e da calma emocional.

Seu aroma está repleto de originalidade, riqueza, doçura, delicadeza e gentileza. De fragrância inconfundível, este aroma repleto de personalidade amorosa, tem influência direta no coração, contém propriedades poderosas capazes de adentrar o coração mais frio e derreter o gelo nele contido.

É utilizado como um maravilhoso antídoto, neutralizador e transformador de emoções destrutivas como: raiva, ressentimento, ódio, fúria, mágoa, vingança e muitos outros tão nocivos quanto estes causadores de danos irreparáveis ao coração.

Tem ação de longo alcance na psique humana – sua essência está repleta de uma generosa quantidade de compaixão e bondade, para promover a cura de feridas emocionais, com delicadeza e assertividade. Trata males emocionais gerados ainda na infância, por abandono, rejeição, perdas, maus tratos – físicos e psicológicos – fontes geradoras de grande sofrimento, prejudiciais à capacidade individual de praticar amorosidade incondicional.

Nutre de afeto divino o coração ferido, magoado, que cresceu possivelmente em um ambiente frio e desprovido de amor nutridor. Promove a restauração da confiança, que estimula a capacidade de expressar amor, sem medo de ser ferido ou magoado.

Em períodos de sofrimento e dor, é indicado seu uso para proporcionar amor caloroso e confortante; concede conforto interno e eleva as atividades amorosas do espírito doador.

Todos os níveis da existência humana recebem benefícios incontáveis, ao se fazer usos desta preciosidade que a Natureza, em sua grande generosidade e bondade, ofertou para nós, Seres Humanos.

?????????????????????

Vera Lucia Guedes Monari

Extraído do Informativo Mona’s Flower 2008

Referência adicional: Essential Oils – Integrative Medical Guide Dr. Gary Young – ESP Essential Science Publishing.

Nota de esclarecimento: A ingestão dos óleos essenciais não é reconhecida no Brasil como fazendo parte dos medicamentos oficiais. O uso interno de alguns óleos essenciais, deve ser somente indicado por profissional autorizado e competente.

Estudos científicos dos benefícios da Lavanda em tratamentos

betrend_imagens_campos-03

Lavanda para os nervos

Cientistas da universidade da Romênia demonstraram pela primeira vez que os óleos essenciais de lavanda (L. augustifolia) e lavandim (L. X intermedia), possuem capacidade neuroprotetora via inalação podendo ser úteis na prevenção e tratamento de demências com o Alzheimer[1].

O Alzheimer envolve danos neurológicos ocasionados pela ação de radicias livres nos neurônios com danos ao seu DNA. No estudo1, os cientistas administraram a ratos escopolamina por 7 dias contínuos visando desenvolver os sintomas de demência e amnésia presentes no Alzheimer. No mesmo período utilizou-se em grupos diferentes de ratos inalação com máscara com os óleos de lavanda e lavandim.

Observou-se nos neurônios de ratos que inalavam os óleos de lavanda e lavandim aumento da atividade das enzimas antioxidantes superóxido dismutase, catalase e glutationa. O óleo de lavanda preveniu a morte dos neurônios, por uma potente ação antioxidante, inibindo também danos ao DNA e a morte celular.

Em pesquisa similar[2], os mesmos cientistas haviam demonstrado que exposições contínuas ao óleo de lavanda podem efetivamente reverter déficits na formação da memória espacial comum em doenças como o Alzheimer.

Na Alemanha recentemente foi lançado o medicamento (Lasea/Silexan) composto por cápsulas contendo 80 mg de óleo de lavanda para o tratamento da desordem da ansiedade generalizada[3]. Em estudos clínicos o óleo de lavanda mostrou ser uma alternativa tão eficiente quanto o medicamento Lorazepan (benzodiazepina)[4], ainda com a vantagem de não ter os efeitos colaterais deste. O óleo mostrou potencial tranquilizante via oral no tratamento da insônia, irritabilidade, depressão, desordens de pânico (fobias) e bipolaridade.

Texto extraído do original: Lavanda para os nervos. Laszlo – Jornal Informativo de Aromatologia. Página 4. 4° Edição, Ano III – Junho 2013. Edição de Colecionador.


[1] Hancianu M et al. Neuroprotective effects of innhaled lavender oil on scopolamine-induced dementia via anti-oxidaive activities in rats. Phytomedicine. 2013 Mar 15;20(5):446-52.

[2] Hritcu L et al. Effects of lavender oil inhalation on improving scopolamine-induced spatial memory impairment in laboratory rats. Phytomedicine. 2012 Apr 15;19(6):529-34.

[3] Kasper S et al. Silexan, an orally administered Lavandula oil prepraration, is effective in the treatment of ‘subsyndromal’ anxiety disorder: a randomized, double-blind, placebo controlled trial. Int Clin Psychopharmacol. 2010 Sep;25(5):277-87.

[4] Woelk H et al. A multi-center, double-blind, randomized study of the Lavender oil preparation Silexan in comparison to Lorazepam for generalized anxiety disorder. Phytomedicine. 2010 Feb;17(2):94-9.


betrend_imagens_campos-08

Lavanda oficinalis e a fobia do tratamento odontológico

Lavanda oficinalis tem seu uso comprovado por pesquisadores da Inglaterra, para tratar a fobia do tratamento odontológico.

Um estudo realizado pelo King’s College London comprovou que o óleo essencial de Lavanda pode reduzir significantemente a ansiedade dos pacientes temerosos de dentista.

O profissional que lida com pacientes extremamente estressados e amedrontados certamente encontra grande dificuldade em tratá-los.

Isso significa que o paciente nem sempre recebe o melhor tratamento, tendo em conta esta dificuldade, assim como também prolonga o tempo entre as visitas ao dentista, por puro medo.

O uso da Lavanda irá garantir que as visitas ao dentista não sejam mais evitadas ou adiadas, por medo e ansiedade e assim, a saúde bucal do indivíduo que sofre de fobia de dentista será garantida.

Bastam apenas duas gotas de Lavanda num lenço de papel ou num algodão, para que o paciente possa inalar durante o tratamento e tudo ocorrerá na mais tranquila calma, tanto para quem está sendo tratado quanto para o profissional, que poderá realizar seu trabalho sem maiores preocupações em relação ao seu cliente.

Fonte: Healthy Magazine, River Publishing, Victory House,

14 Leicester Place, London, WC2H 7BZ,

Edição Janeiro-Fevereiro 2009

Extraído do Informativo Mona’s Flower 2009

Nota de esclarecimento: A ingestão dos óleos essenciais não é reconhecida no Brasil como fazendo parte dos medicamentos oficiais. O uso interno de alguns óleos essenciais, deve ser somente indicado por profissional autorizado e competente.

Kit Básico de Aromaterapia

Aprenda a montar o seu e conquiste mais saúde e bem-estar

flower essence

Todas as pessoas deviam ter em casa um Kit Básico Aromático. Os óleos essenciais possuem tantos benefícios para a saúde – ajudando-as principalmente a enfrentar pressões emocionais – que deveriam ser usados como produtos para emergência.

Utilizados há séculos para fins terapêuticos, os óleos essenciais são extraídos de várias partes de plantas procedentes de todos os recantos do mundo. No entanto, é preciso seguir alguns critérios para a escolha de óleos essenciais de qualidade.

Observe:

  • Óleos essenciais para fins terapêuticos devem ser controlados desde o cultivo até sua extração e envasamento, mantendo assim seu alto padrão de qualidade;
  • O rótulo deve mencionar o nome científico da planta do qual foi extraído, bem como data de validade e país de origem;
  • No rótulo também deve estar escrito “essência” ou “óleo essencial”. A essência atua apenas no sistema sensorial, não tendo efeito terapêutico;
  • Utilize os óleos somente conforme indicação de um aromaterapeuta habilitado, pois alguns deles podem causar irritação na pele se não forem diluídos corretamente;
  • Tenha sempre junto ao kit um frasco com óleo carreador, que será utilizado para diluição dos óleos essenciais. O kit deve ter armazenamento adequados;
  • Pessoas com sensibilidade cutânea devem ser mais cautelosas. Para verificar a sensibilidade, teste o óleo na sola dos pés – região bem menos sensível do que outras partes do corpo.

Segundo o Dr. Daniel Pénöel, em curso ministrado na região de Provence, os óleos essenciais citados abaixo não podem faltar no seu kit básico: Lavanda, Tea Tree, Gerânio, Menta, Eucalipto Glóbulos e Manjericão. Saiba mais sobre alguns deles:

Lavanda (Lavandula officinalis)

É o mais usado e versátil óleo essencial para fins terapêuticos; proveniente de uma rica flor de cor violeta, produz um óleo essencial que possui muitas propriedades, sendo tão relaxante quanto estimulante. Os antigos romanos a usavam como seu purificador favorito nos banhos. A Lavanda traz os mais abrangentes benefícios, desde acalmar a irritação da criança e aliviar a insônia, até o alívio da ansiedade e da depressão. Suaviza os efeitos de queimadura provocadas pelo sol, prevenindo inflamações. É capaz de criar uma maravilhosa sensação de bem estar e conforto.

Como usar: gotas do óleo de Lavanda ajudam a curar pequenos cortes, escoriações, queimaduras, furúnculos, acnes, dermatites, eczemas e picadas de insetos, prevenindo eventuais inflamações. Basta adicionar algumas gotas em uma compressa e cobrir toda a área afetada. Para tratamentos de beleza e relaxamento na banheira, misture de 5 a 10 gotas do óleo essencial de Lavanda em um pouco de leite morno. Depois, repouse e aproveite!

Tea Tree (Melaleuca Alternifolia)

Há séculos, os aborígenes usam cataplasmas de Tea Tree (melaleuca) para limpar e cicatrizar feridas e úlceras. Este precioso óleo essencial tem efeito comprovado nos três tipos de infecção que atacam o corpo, causados por bactérias, vírus e fungos. Por isso é amplamente aplicado no tratamento e prevenção de quadros de infecção. Poderoso imunoestimulante, aumenta a capacidade de resposta do corpo que se vê ameaçado por quaisquer desses microorganismos. As propriedades altamente anti-sépticas do óleo de Tea Tree são 12 vezes mais potentes que os desinfetantes químicos mais usados, e ele ainda possui a vantagem de ser tanto hipoalergênico como atóxico.

Como usar: para infecções respiratórias, gripes e resfriados, garganta inflamada, amigdalites, gengivites, tosses e congestão, use Tea Tree em gargarejos, bochechos, inalações e aplicações. Usado em máscaras, compressas, escalda-pés ou imersão das mãos, alivia pé-de-atleta e infecções da base das unhas. Acelera a cicatrização da pele cortada, protegendo-a de infecções. Como antifúngico, ajuda a tratar infecções vaginais em banhos de assento, duchas ou aplicações. Como o óleo de Lavanda, o Tea Tree pode ser usado sem diluição, diretamente sobre a área afetada.

Eucalipto Glóbulos (Eucalyptus Globulus)

O óleo essencial de Eucalipto é um anti-séptico natural contra uma grande variedade de infecções, usado largamente para combater problemas respiratórios. Tem efeito geral refrescante no corpo e reduz febres. Das centenas de espécies de eucaliptos nativos da Austrália e da Tasmânia, apenas um pequeno número são cultivadas, por seus óleos essenciais. Durante o verão, as árvores são envoltas por uma névoa azul, provocada pelo óleo essencial que evapora de suas folhas, daí a expressão “as florestas azuis da Austrália”. Em países com alto risco de malária, o Eucalipto ajuda a combater a doença, por possuir a capacidade de absorver a água estagnada, habitat ideal para proliferação das larvas do mosquito.

Como usar: excelente descongestionante e anti-séptico, o óleo essencial de eucalipto ajuda a prevenir gripes, resfriados e infecções de garganta, aliviando tosses secas e severas. Em gargarejos, inalações, vaporizadores, aplicações e banhos, ameniza sinusites e dores de cabeça causadas por congestão, além da falta de ar decorrente de asma e bronquite, fazendo liberar o muco. Na massagem, alivia dores musculares, reumáticas e das articulações. Em compressas ou aplicações tópicas, é eficaz no tratamento de furúnculos, espinhas e herpes simples. Este óleo essencial deve ser usado seguindo rigorosamente as diluições recomendadas pelo profissional.

Gerânio (Pelargonium Graveolens)

Muito versátil, o óleo essencial de Gerânio é eficaz na limpeza do corpo e na reanimação da mente, além de ter efeito equilibrador no sistema nervoso. Alivia ansiedade, depressão e eleva o espírito. Estimulante e regulador da produção de hormônios, é benéfico contra infecções vaginais, TPM e sintomas da menopausa – especialmente a depressão a ela associada. Sua influência aromática ajuda a liberar as memórias negativas e traz de volta à paz. No século XV, jardineiros europeus plantavam gerânio em volta das casas, para manter distantes os maus espíritos.

Como usar: No tratamento da pele, é excelente para cútis desvitalizada, pois equilibra a oleosidade e a secreção de gordura das glândulas sebáceas, tendo efeito adstringente, limpador e tonificante. Reduz a inflamação, alivia acne, estrias e pequenos ferimentos, além de acalmar erupções de sarampo em crianças, quando usado em banhos, compressas e aplicações. Aplicado na loção pessoal ou na drenagem linfática, elimina toxinas e ajuda a aliviar a retenção de líquidos e a combater a celulite. Compressas, banhos ou massagens com Gerânio evidenciam suas propriedades tônicas e limpadoras, ao estimular o figado e combater úlceras bucais e diarréias.

Existem muitos estudos clínicos sobre óleos essenciais que demonstram sua eficácia, o médico francês Daniel Pénöel é notadamente uma referência mundial. E aqueles que desejam fazer sua caminhada com seriedade para conhecer os óleos essenciais podem encontrar mais informações nos cursos de formação.

aromaterapia1

Maria Aparecida das Neves

Formada em Psicologia, com especialização em trastornos alimentares é especialista em terapia floral e pesquisadora em aromatologia com cursos na Inglaterra , França e EUA

Extraído do Informativo em Gotas – Mona’s Flower 2010

Nota de esclarecimento: A ingestão dos óleos essenciais não é reconhecida no Brasil como fazendo parte dos medicamentos oficiais. O uso interno de alguns óleos essenciais, deve ser somente indicado por profissional autorizado e competente.

A vida moderna, o estresse e a medicina complementar

gotas oleos

Hans Seyle, endocrinologista canadense, foi o pioneiro em pesquisar as respostas e efeitos do estresse no corpo. Suas pesquisas foram reveladas para o público em 1990, pelo livro “The Stress of Live”, onde enfatiza que o que realmente é relevante na administração do estresse é a habilidade que o indivíduo tem de gerenciar e administrar as reações frente aos fatores estressantes, que podem se apresentar como ameaças ou exigentes desafios na vida cotidiana.

O que realmente tem importância não é o que acontece, mas sim, como o indivíduo reage e administra a questão ou situação considerada estressante.

A Medicina Complementar, que faz uso dos óleos essenciais tem muito a colaborar com a administração e controle do estresse, ajudando o indivíduo a se manter equilibrado e em harmonia interior.

O uso dos óleos essenciais visa oferecer apoio e manutenção para uma qualidade de vida desejável e saudável, em todos os níveis, concentra suas ações e seus esforços em ajudar o corpo a se manter em equilíbrio e em alta frequência vibratória de energia, para combater e eliminar tudo que seja contrário à “vida”.

Para se estabelecer um tratamento através da Medicina Complementar, que se baseia em tratar o indivíduo como um todo, um dos fatores muito importante, para o bem sucedido tratamento e gerenciamento do estresse está – em primeiro lugar – no reconhecimento do fator estressante.

Os fatores estressante podem ter suas fontes em várias situações:

  •  Ambiental – o que compreende as atividades diárias e como o indivíduo reage a tudo que o cerca em seu ambiente cotidiano (profissional, familiar e social).
  • Emocional – o que pode estar sendo gerado por conflitos de relacionamentos entre pais e filhos, alunos e professores, chefes e empregados, colegas de trabalho, maridos e esposas ou relacionamentos entre namorados.
  • Químico – o estresse ocorre quando o corpo recebe contínua ingestão de substâncias nocivas à sua saúde: poluição, alimentos poucos saudáveis como produtos refinados e ácidos, chocolate, fast food, café, álcool e fumo.

Uma vez detectado o fator estressante, torna-se mais facil direcionar um tratamento que traga benefícios curativos ao indivíduo, seja estimulando ou relaxando o sistema, promovendo desintoxicação e limpeza do organismo como um todo e ou oferecendo ajuda no processo de cura das condições já manifestadas, colaborando assim com a manutenção da saúde, da energia e da força vital.

homepage_logo

Aqui são mencionados alguns dos óleos que podem ser de grande ajuda no tratamento e gerenciamento do estresse:

Lavanda: o anti-estresse da natureza,  renomado relaxante dos nervos, tranquiliza a mente agitada e preocupada, principalmente à noite, quando se faz necessário uma boa noite de sono, para que o corpo se recomponha dos desgastes energéticos das atividades diárias.

Camomila Romana: renomada por seus efeitos relaxante muscular e calmante das emoções exaltadas e agitadas; exelente para ser usada no banho da noite, relaxa toda a musculatura e proporciona paz e serenidade. Valioso para aliviar espasmos na musculatura do aparelho digestivo.

Gerânio: tem ação poderosa no sistema endócrino, relaxa e minimiza as atividades das supra-renais no final do dia, oferecendo tranquilidade e criando paz interior.

Manjericão: renomado antiestressante, analgésico, ele atua principalmente na musculatura, aliviando dores e tensões nos nervos. Tônico geral para o corpo.

Tomilho: repositor e mantenedor da saúde, regenerador do sistema imunológico – em condições de estresse crônico as defesas imunológicas se desgastam e se debilitam, deixando assim o corpo desprovido de proteção e aberto aos invasores oportunistas (vírus, bactérias e fungos).

Alecrim: ativa a fonte de força e energia, estimula e anima o corpo desvitalizado e desgastado pela ação contínua do estresse. Limpa e desintoxica o sangue, que pode estar contaminado de toxinas, deixando o indivíduo lento, memória fraca, com déficit de atenção e enfraquecimento dos sistemas do corpo.

Ylang ylang: “o zelador do coração”, este óleo é particularmente indicado para os “extremamente estressados”, que podem desenvolver sérios problemas cardíacos, inclusive infarto do miocárdio e o derrame cerebral. Este óleo redireciona as energias do coração, oferecendo calma e tranquilidade, indicado especialmente para o padrão mais hostil e irritado com os acontecimentos da vida diária.

Todos os óleos essenciais são providos de energia da Natureza, que inseriu generosamente seu poder curativo nestas plantas e através delas proporciona suas propriedades terapêuticas graciosamente, para ajudar o Ser Humano a ter equilíbrio e harmonia interior e assim poder desfrutar da vida, expressando saúde e vitalidade.

Modo de uso dos óleos essenciais – através de óleos para massagem, sabonetes líquidos neutros, shampoos, loção branca neutra para o corpo, cremes base para aromaterapia e em difusores.

Texto editado de: Vera Lucia Guedes Monari

Extraído do Informativo Mona’s Flower 2007

Nota de esclarecimento: A ingestão dos óleos essenciais não é reconhecida no Brasil como fazendo parte dos medicamentos oficiais. O uso interno de alguns óleos essenciais, deve ser somente indicado por profissional autorizado e competente.

Aromaterapia para o inverno

Aromatherapy Candles and Oils

“Quando Deus criou o homem, insuflou em suas narinas o sopro da vida!”

(Gn 2,7)

A primeira coisa que fazemos ao nascer é respirar e será a última que faremos quando morrermos. Respirar significa estar vivo!

É justamente no inverno que as doenças das vias aéreas, que nos dificultam respirar, mais aparecem. E, pela profundidade emocional que o ato de respirar possui com nossa existência, as doenças respiratórias sempre quando surgem nos servem de alerta para medirmos nosso grau de alegria pela vida, para trabalhar nossas tristezas, frustrações e nossa expressão.

O termo “spiritus”, se liga diretamente à palavra “inspirar”. Curiosamente a palavra alemã “atmen” que significa respirar se assemelha à palavra indiana “atma” que significa alma. Para os antigos alquimistas o óleo essencial era a “alma ou espírito das plantas”, o mesmo espírito que “insuflado” em nossas narinas nos devolve a vida e a capacidade de respirar bem novamente.

A área pulmonar é um dos melhores meios para absorver e beneficiar-se dos óleos essenciais e, se o problema acontece justamente alí, os resultados são ainda mais rápidos.

Normalmente quando pensamos em utilizar algum óleo essencial para a respiração, nos lembramos de óleos frios como o eucalípto e a hortelã devido a sua ação expectorante e mucolítica. O eucalípto, por exemplo, é composto por uma molécula de cineol (eucaliptol).

O cineol, junto do mentol, são moléculas criadas pelas plantas com finalidade justamente de mover calor de suas folhas em dias muito quentes, calor este, que dentro dos nossos pulmões, vai manifestar-se na forma de congestão (febre interna). Ao resfriar os pulmões, estas substâncias retiram a congestão quente facilitando a respiração com a eliminação do catarro. Nos problemas relacionados à produção excessiva de catarro, como sinusite, rinite e bronquite, os óleos ricos nestas moléculas são os melhores.

Além de potente descongestionante, o óleo de hortelã pimenta mostrou eficaz ação antimicrobial para 17 espécies de bactérias e fungos ocasionadores de doenças respiratórias. Igualmente, em estudos, o componente cineol do eucalípto glóbulus mostrou atividade antimicrobial similar com aumento da resposta imunológica. Ele também foi útil no tratamento da doença pulmonar obstrutiva crônica, melhorando a respiração e a dispnéia por agir como antiinflamatório das vias respiratórias e na bronquite asmática.

Nos casos mais graves que envolvem sinusite infecciosa crônica, com catarro amarelo e mau cheiro, a utilização via inalação de óleos essenciais antibióticos como o tea tree ou cravo da Índia associados ao hortelã pimenta ou eucalípto glóbulos apresentam melhores resultados. O cipreste é outro óleo muito eficaz pela sua ação secativa do catarro.

Nos casos de rinite envolvendo alergia, o emprego via inalação do óleo de lavanda, camomila romana ou espruce se tornam as melhores opções terapêuticas.

Como causa emocional, a psicossomática diz que a sinusite e a rinite são um sinal de que seu ego está profundamente irritado com alguma pessoa que convive com você. É provável que esta pessoa tente constantemente invadir seu espaço vital. Na verdade, o nariz representa a nossa sensibilidade quanto à aceitação ou recusa de algo ou alguém. Os óleos expectorantes citados trabalham também a expressão emocional nestes casos, mas com certeza o óleo de camomila romana é uma das melhores opções, pela sua capacidade de trabalhar o perdão, a humildade, o reconhecimento e as insatisfações e inconformismos com a vida.

Entre os hábitos que mudam dos dias quentes para os dias frios, o baixo consumo de líquido ao longo do dia é um deles. Diferentemente do verão, quando as pessoas sentem sede por transpirarem mais, no inverno, a hidratação ocorre com menor frequência. A desidratação somada a “gatilhos” emocionais podem ser a rezão do surgimento ou intensificação dos sintomas da asma neste período.

Contudo, em muitas situações nem sempre a desidratação é o único fator causador. A dificuldade em respirar, pode ser uma manifestação física de um sufocamento emocional, advindo de pais, companheiros ou filhos controladores. A pessoa sufoca, por não dizer o que pensa, fazer o que quer, ser ela mesma. Em outras situações, o indivíduo usa a asma como meio de controlar o ambiente à sua volta, passando a ser o centro das atenções, devido à sua dificuldade em saber ceder (entender), dar ou receber.

Junto com o inverno, também surgem os resfriados e gripes. Existe o óleo de uma planta nativa de Madagascar que é muito eficaz em tratar de gripes e resfriados, é o óleo de ravensara aromática. Estudos médicos franceses feitos com este óleo mostraram que ele possui uma potente atividade antiviral e imunoestimulante, contribuindo na cura de gripes em curto espaço de tempo.

Tosse é outro problema comum no inverno, às vezes pelo frio ar seco de alguns lugares. Geralmente o óleo de hortelã pimenta ou eucalípto glóbulus soluciona quando a tosse é catarral.

Chá-de-gengibre

E por último, não poderíamos deixar de falar na canela, no gengibre e no cravo da Índia, ingredientes do quentão comum nas festas juninas. Esses óleos essenciais são especialmente úteis neste período numa série de situações. Primeiro, eles são afrodisíacos e, ter o aroma de canela no quarto no momento a dois é muito aconchegante e erótico num dia frio. O óleo de canela traz energia e vigor à tona. Aquece eliminando o frio por ser vasodilatadora e aumenta a circulação sanguínea, trabalhando a “tristeza pulmonar”. Mas atenção: não use canela em massagens íntimas, pois pode ocasionar queimaduras da pele.

O óleo de gengibre obtido pelo método de extração possui alta concentração de gingerol, que lhe dá sua ardência característica. Canela e gengibre são dois óleos muito úteis em um problema agravado pelo frio e sedentarismo, o reumatismo.

Óleos frios, geralmente ricos em mentol, cânfora ou salicilato de metila, como o famoso “óleo doutorzinho”, so aliviam as dores, não agindo como eficientes antitiflamatórios na causa do problema. Eles agem enganando os receptores nervosos, causando analgesia, porém encobrindo o problema. Por outro lado, óleos essenciais como o gengibre, a copaíba, a canela e o orégano possuem amplos estudos sobre sua atividade antiinflamatória. Esses óleos não só desinflamam curando, mas agem aquecendo, melhorando a circulação e trabalhando as causas emocionais que o reumatismo carrega consigo: a rigidez, o medo e a amargura. Para curar emocionalmente esta doença é preciso voltar a “brilhar” na vida com a energia do sol, como a canela faz sem medo e com todo seu calor. Sendo preciso também se aterrar com suas “raízes” de novo para viver sem medo, como faz o gengibre.

Texto editado do original: Aromaterapia para o inverno. Laszlo – Jornal Informativo de Aromatologia. Página 3. 4° Edição, Ano III – Junho 2013. Edição de Colecionador.

Nota de esclarecimento: A ingestão dos óleos essenciais não é reconhecida no Brasil como fazendo parte dos medicamentos oficiais. O uso interno de alguns óleos essenciais, deve ser somente indicado por profissional autorizado e competente.

Uma ciência de muitos cheiros

Aromatologia* (parte 1)

Uma ciência de muitos cheiros

* estudo científico dos óleos essenciais

destilador-alquimistas

Desde a época do antigo Egito, há mais de 4 mil anos, que o interesse pelos óleos essenciais por parte da humanidade é grande. Nesta época, os óleos eram empregados nas mais diferentes formas, em usos cosméticos, medicinais, religiosos e até no processo de embalsamento das múmias.

No decorrer da história, por cerca de mil anos depois de Cristo, nada se sabia sobre as essências aromáticas das plantas, até que Avicena, médico e cientista Persa, descreve em um livro, no ano mil, o método da destilação.

Séculos depois na Europa, iniciam-se as primeiras destilações de plantas aromáticas, num cenário místico dentro da prática e estudo da alquimia medieval. É resgatado neste momento a concepção de que o óleo essencial era a “alma das plantas”, conceito este originário da prática da Alquimia no antigo Egito. Eles acreditavam que o óleo essencial era a máxima expressão do aprendizado e compreensão de uma entidade vegetal, que vivendo uma infinidade de situações durante sua evolução no planeta, conseguiu registrar seu aprendizado em uma complexa mistura de moléculas com informações preciosas.

Em um óleo essencial, cada componente possui um efeito e está ali por uma razão estratégica. Um dado composto pode trazer informações de propriedades antibióticas, antiinflamatórias e antioxidantes. Outro está ali visando inibir uma enzima em micróbios que lhes conferiria resistência ao princípio ativo anterior. Um terceiro composto age como imunoestimulante e um quarto como repelente e inibidor da germinação de sementes de ervas daninhas. Assim, se pensarmos que um óleo essencial possui às vezes mais de uma centena de compostos com funções variadas, chegamos a encontrar num único óleo essencial mais de mil informações genéticas sendo passadas pela planta. Estas informações são dados preciosos que nosso corpo pode absorver de forma quântica (energética), espiritual e farmacológica.

Na natureza, animais e seres humanos podem se mexer e emitir sons, mas as plantas são seres imóveis e silenciosos. Precisaram encontrar outro meio para se expressar, e foi aí quando surgiu o óleo essencial, que pode ser descrito como o “verbo vegetal”, o meio através do qual as plantas falam.  Sentir o cheiro de um aroma é como ouvir uma música, “ouvir um cheiro” com o nariz, o “canto que não é de um pássaro, mas de uma planta”.

Estudos científicos já provaram que as plantas possuem receptores a moléculas aromáticas, ou seja, possuem olfato sentindo cheiro umas das outras. E, a cada mil plantas com flores (angiospermas), somente uma recebeu o dom de falar o que sente e aprendeu pelo cheiro.

Conforme as experiências que um vegetal aromático vai vivendo e o aprendizado que vai sendo firmado em seu material genético, modificações nos compostos aromáticos que ele emite vão acontecendo, acompanhando aquilo que ele aprendeu e quer expressar. É como um pássaro que durante a caminhada evolutiva modifica gradativamente seu canto.

alma das plantas

Texto editado, retirado do original:

Por Fabian Laszlo

Aromatólogo e empresário

Diretor da Laszlo Aromaterapia e do Instituto Brasileiro de Aromatologia

www.laszlo.com.br

www.ibraromatologia.com.br

Estudo científico dos óleos essenciais

Aromatologia* (parte 2)

Uma ciência de muitos cheiros

* estudo científico dos óleos essenciais

aromaterapia(1)

Depois da idade média, com o advento da farmácia e bioquímica, o estudo dos óleos essenciais atingiu um novo patamar. Eles passaram a ser vistos, não só como matérias primas para fabricar perfumes, mas também como recursos terapêuticos com grande potencial para a cura de doenças.

Em 1910 um homem trabalha em seu laboratório na França fazendo uma destilação num balão de vidro que explode queimando-o severamente. Este homem era o químico René-Maurice Gattefossé. Mesmo se cuidando, Gattefossé contrai uma infecção grave nos braços, ocasionada pela bactéria Clostridium perfringens, que se não tratada a tempo pode ocasionar infecção generalizada levando à morte. Ele vai então a um hospital sendo aconselhado pelo médico a enfaixar os braços queimados e a aplicar sulfas (antibióticos). O quadro se agrava e o médico diz que se dentro de poucos dias não houver melhoras, será necessária a amputação de seus braços.

Gattefossé vai para casa e resolve tomar uma iniciativa por conta própria, já que os meios ortodoxos de tratamento não deram resultado. Ele tira as bandagens dos braços e começa a aplicar óleo de lavanda pura, baseando-se em experiências e estudos anteriores sobre o poder curativo dos óleos essenciais. De forma espantosa no decorrer de uma semana a infecção regride e seus braços se cicatrizam completamente sem deixar marcas: é um milagre!

Isso muda drasticamente a vida de Gattefossé, levando-o a investir tempo e atenção ao estudo conjunto com médicos sobre o poder curativo dos óleos essenciais. Em 1937, este seu trabalho culmina na publicação do 1º livro de aromaterapia do mundo que causou uma “revolução aromática” em todo o planeta.

Após a 2º Guerra mundial um grande número de cientistas na França, entre eles médicos e farmacêuticos, iniciam um trabalho de pesquisa profunda que prova definitivamente o poder que os óleos essenciais tinham na saúde e abre portas para seu uso em hospitais como o “fitoterápico de mais alta eficiência e concentração”.

aromaterapia

Surge neste intercurso assim uma nova ciência, chamada de Aromatologia, ou o “estudo científico dos óleos essenciais”.  Esta ciência passa a se abrir para as múltiplas possibilidades de uso que os óleos essenciais possam encontrar. Como numa árvore, a aromaterapia é apenas um de seus braços focado ao estudo e aplicação terapêutica dos óleos, havendo também a possibilidade de seu uso na área da gastronomia, estética, psicologia e até no marketing.

Os empregos de óleos essenciais como recurso terapêutico são os mais diversificados. Eles funcionam bem como antibióticos naturais, cicatrizantes de feridas e queimaduras, analgésicos no alívio de dores, como antiinflamatórios poderosos, sedativos do sistema nervoso em casos de insônia ou hiperatividade, depressão e ansiedade. A vantagem de seu uso neste aspecto vem exatamente do fato de possuirem menores efeitos colaterais do que os medicamentos alopáticos e, conforme o óleo, baixo custo. Por exemplo, uma pesquisa realizada na Inglaterra com 8.058 mulheres grávidas mostrou que a utilização de óleos essenciais como a lavanda, camomila romana e sálvia esclaréia através da inalação e massagem, foram capazes de reduzir o uso de opióides anestésicos de 6% em 1990 para 0,4% em 1997 nas mulheres durante o parto. A economia resultante desta prática é enorme para o sistema de saúde público, além da redução dos riscos com a aplicação de anestesia peridural.

Além disso, parte da capacidade regeneradora e rejuvenescedora que os óleos essenciais possuem e que os faz serem utilizados em cosméticos, está associada a esta capacidade de eliminar radicais livres, que são moléculas que podem acelerar o envelhecimento, quando presentes na pele e no interior do corpo. Exemplos de óleos ricos neste efeito são o gerânio, rosa, lavanda, pau rosa, limão, laranja, entre dezenas de outros.

A grande dificuldade do emprego de óleos essenciais na saúde é a falta de interesse da indústria farmacêutica em investir capital na sua pesquisa, já que por serem um recurso natural, não podem ser patenteados.

Existem atualmente pesquisas mostrando grande eficácia do uso de óleos essenciais no tratamento de piolho, sarna, candidíase, doenças de pele, desordens respiratórias, síndrome do intestino irritado, etc. Em países desenvolvidos na Europa, como a França, Bélgica e Alemanha, os óleos essenciais já são utilizados amplamente, não só por terapêutas, mas por médicos, enfermeiras e psicólogos. No Brasil isto ainda está começando a acontecer.

No campo da cosmética, pesquisas realizadas pela empresa francesa Soliance, mostrou que o óleo de mirra (Commiphra mukul) possui a capacidade de aumentar a concentração de triglicérides na pele nas áreas onde existem fissuras. Ao prencher estas fissuras, as rugas e pés de galinha tendem a desaparecer do rosto. Este efeito costuma ser visto em menos de um mês de uso do óleo puro ou diluído.

Igualmente, estudos realizados recentemente na faculdade Univali no Brasil confirmaram o emprego do óleo de cipreste no tratamento do acne. O cipreste (Cupressus sempervirens) age reduzindo a produção de oleosidade das glândulas sebáceas, desinflamando e desinfectando a pele.

Os óleos essenciais também afetam de forma especial a área emocional do cérebro, podendo ser ferramentas úteis dentro da psicologia e psiquiatria no auxilio, conjuntamente com os tratamentos tradicionais, na recuperação de pacientes com distúrbios psíquicos.

Um exemplo da ação psicoaromaterapeutica pode ser visto com o óleo de camomila romana (Anthemis nobilis). Seu aroma calmante, neutraliza a agressividade e a raiva, eliminando mágoas no coração. Dissolve estados críticos e preconceituosos nas pessoas trabalhando o perdão. Conecta com a energia angelical dentro de cada ser humano despertando a alegria por viver, combatendo depressões mórbidas e a falta de esperança por algo melhor. Além disso, é útil em insônia e ansiedade.

Com toda esta gama de possibilidades, a aromatologia é uma ciência que a cada dia cresce mais chamando a atenção de estudiosos de diferentes áreas. Aprender esta ciência de forma séria e profunda é algo importante para aqueles que desejam utilizar estes poderosos recursos, os óleos essenciais.

Texto editado, retirado do original:

Por Fabian Laszlo

Aromatólogo e empresário

Diretor da Laszlo Aromaterapia e do Instituto Brasileiro de Aromatologia

www.laszlo.com.br

www.ibraromatologia.com.br

Cultive a sua Lavanda …

Respondendo à perguntas …

A Lavanda é a mesma planta que a Alfazema. Um arbusto fácil de cultivar.

Podemos secá-la para fazer  sachês, enchimento de travesseiros e muitos preparados (folhas e flores).

images-vaso lavanda

Também podemos colher e usar as flores da  Lavanda em arranjos charmosos junto com rosas ou outras flores frescas …

Use sua criatividade e verá que  vasinhos simples podem alegrar seu ambiente.

vasos com lavanda e rosas

Para cultivar você pode comprar as mudas ou vasos grandes em floriculturas e deixar sempre em local arejado que receba sol direto ao menos 4 horas ao dia.

A Lavanda cresce bem em solo (ou vaso) bem drenado com regas de 2 em 2 dias.

Para secar, colha as flores e coloque na sombra de cabeça para baixo.

lavanda secando

Deixe a magia da Lavanda te envolver!

Ana Tereza

Reduzindo o Stress

LAVANDA  E  STRESS

CARÁTER DO ÓLEO ESSENCIAL: Curador e purificador.

Lavandas

Indicado quando sentimos: Conflitos e traumas vivenciados no passado, mal resolvidos; agitação emocional, chegando à histeria, medo, síndrome do pânico; noite de sono agitado, com pesadelos; insegurança e timidez; estado de choque; dor de cabeça, estômago, dores nas juntas, reumatismo e artrite, furúnculo, abcessos, ulceras varicosas, TPM e cólicas menstruais.

Benefícios com o uso deste óleo: A Lavanda, conhecida pelas suas propriedades purificadoras, curadoras, desintoxicantes e cicatrizantes, oferece-nos muitos benefícios. Conhecida como o “Rescue” ou o socorro da aromaterapia, deve estar sempre disponível, na bolsa ou na maleta. Situações como picada de insetos (até mesmo aranha, cobra e escorpião) podem ser auxiliadas pela lavanda, que ajuda o corpo a eliminar o veneno, através dos rins. Devemos nos lembrar da Lavanda como um verdadeiro antídoto contra venenos, incluindo ainda a intoxicação pelo álcool, cigarro, drogas, alimentos, considerando também os sentimentos e pensamentos que envenenam o corpo e a alma. A poderosa Lavanda tem um maravilhoso poder curativo. Seu nome Lavanda é proveniente do latim “lavare” , que significa lavar. Não devemos ter nenhum receio de nos lavarmos com este maravilhoso óleo essencial.

 FORMAS DE USO: Aromatização de ambiente, massagens, escalda-pés, aromatização pessoal, etc….

CUIDADOS: Evitar o uso do óleo nos três primeiros meses da gravidez.

Lavanda-campo